Bem vindos a minha " Aldeia Blogal " !


"O Diabo mora nos detalhes"...


12 de novembro de 2009

SLaVe To LoVE



Há duas formas de se aprisionar o amor:
Uma é nos sentirmos aprisionados a tão nobre e gostoso sentimento, e nada melhor do que sermos escravos de tão bela sensação!
Não importa se é amor-paixão, amor-tesão, amor-razão, amor-ficção, amor-irmão... pois o que conta é o amor fazendo morada em nosso coração!
A outra forma já é o inverso:
Queremos aprisionar o amor, com a ilusão de que assim escaparemos da decepção.
Cercamos e vigiamos o objeto de nossa paixão, tomados por uma intensa obsessão e acreditando que só assim evitaremos a dor de uma possível desilusão!
Mas o coração sabe do que precisa para a sua nutrição, e quando em cativeiro, cessará o fluxo natural de sua evolução...
A sua ração consiste em pequenas porções de total liberdade de ação, pois só assim será livre para render-se por inteiro à intensidade de uma paixão!

Helô Müller


14 comentários:

Amèlie disse...

Gostoso revisitar esta música!


Bjs

Fernando Richter disse...

Muito bom seu blog.

bjs

rm disse...

Ei Helô,
sou obrigado a retificar meu último comentário: tenho gostado mais dos seus textos...

Quanto ao mérito, recorro ao velho Vina: "ando escravo da alegria/hoje em dia, minha gente, isto não é normal/se o amor é fantasia/eu me encontro ultimamente em pleno carnaval..."

Fernanda - menina descalça disse...

Oi linda !!!
Sou totalmente escrava das várias paixões !!! rs
Não me vejo sem ...
Adorei seu bolg !!!
Beijos

Américo do Sul disse...

O amor é uma sensação presa tão somente a liberdade de emoção. Com ou sem razão alimenta-se de uma única ração, e esta sempre está além de toda a compreensão.
É uma versão. Uma opinião em meio a um infinito oceano das percepções. E percepções são íntimas e pessoais como o prazer q descobrimos no viver.

Querida Helô... nem precisa dizer o qto é gostoso ler vc.

rouxinol de Bernardim disse...

Este blog merece um Óscar para a poesia mais incandescente nesta labareda blogosférica!

Está bem quente, um inferninho gostoso quando em Portugal o frio começa a flagelar as almas...

rouxinol de Bernardim disse...

Este blog merece um Óscar para a poesia mais incandescente nesta labareda blogosférica!

Está bem quente, um inferninho gostoso quando em Portugal o frio começa a flagelar as almas...

▒▓█► JOTA ◄█▓▒ disse...

ººº
Que bonito Helo, gosto mais quando vc escreve... e tinha que meter sapatos, rs


Bjoooooo

Luna Sanchez disse...

Já disse Herbert Vianna :

"Todas as formas de se controlar alguém
só trazem um amor vazio..."

Concordo, sem rodeios.

Beijos, Helô. Bela imagem, gostei muito, e parabéns pelo texto.

ℓυηα

Blue disse...

Paixão, amor... prisão!

Não deve ser assim.

Beijos

Erica Maria disse...

Mais este texto tá lindo e essa música aí... mexe com meus sentidos!


Bjos em teu coração♥

Luxuria disse...

Não há nenhuma prisão em nenhum mundo na qual o Amor não possa forçar a entrada




beijo de luxuria

Silvio Koerich disse...

A musica complementou bem

wcastanheira disse...

ótimo texto, adoro ler suas declarações poéticas ou não, mto bom mesmo, a declaração de amor combina com a beleza fotográfica q vc sempre escolhe, foi mto bom ter estado aqui, bjos, bjos, bjosss