Bem vindos a minha " Aldeia Blogal " !


"O Diabo mora nos detalhes"...


23 de maio de 2009

Singela homenagem a minha mãe que se foi ...



"Amamos as nossas mães quase sem o saber e só nos damos conta da profundidade das raízes desse amor no momento da derradeira separação."

Guy Maupassant


Eis o meu desabafo quando soube que minha mãe, além do mal de Alzheimer que já tinha há alguns anos, também estava com metástase cerebral; e que lhe restaria poucos meses de vida. Ela faleceu exatamente 2 meses depois...





Mããee !!!

E agora?

Desde quando Mãe tem morte anunciada? E aí? Como é viver com o "tempo de vida" de sua própria mãe, contado? Minha mãe ainda comigo, mas até quando? Como assim viver sem ela? Vivemos há tantos anos e nunca tivemos pressa de nada... Ela sempre presente silenciosamente ao meu lado e com muita calma... Simplesmente sabia q ela estava ali, e pronto! Nunca falamos em tempo, horas, minutos, prazo expirando, nada disso!

Mãe morre mesmo? A "minha" também? E o q faço agora? Fico grudada nela até o final? Mas há final para a Mãe na vida de um filho? Que absurdo é esse, quem disse isso? Sei q foi o médico, com o papo de nada mais resta a fazer!

Olho pra ela, alienada de si mesma, frágil, um trapinho de gente usando de novo fraldas, e ainda com vestígios de seu pudor... A dor no peito vem forte, o lamento se faz presente, e atordoada nem sei definir se é mais por ela, por mim, ou pelas duas... Eu só sei q dói, e como dói!...

Brinco com ela na esperança de trocar a sua dor pela alegria! (ou será a minha?!) A alegria de ainda vê-la sorrir, por alguns instantes, até q retorne à sua fragilidade e medo constantes...

Desde os seus 3 anos de idade q ela começou a perder:

- Aos 3 anos, as duas irmãs maiores, aos 4 foi a vez da mãe, e aos 11 foi o seu pai tão amado, em quem ela havia concentrado todo o seu potencial de amor!

Ficou com fortes dores de cabeça por dias seguidos, despediu-se dele em sonho - aliás um belo sonho - e ninguém com coragem de lhe contar a cruel verdade!

( ... não foi à toa q antes de sua derradeira viagem, ela se agarrou a ele, chorando muito, e pediu q não fosse... Mas ele foi, pra nunca mais voltar ! )

Viveu criada por uma tia solteirona, q ela chamava amorosamente de "tia Dodoca"! E agora, na velhice, volta a ser cuidada! Volta a ficar dependente de cuidados pra sobreviver com dignidade...

Ironias da vida! Ela perdeu no início e, agora, de novo, em seu final de vida!

Perdeu a chance de gozar seus últimos momentos, com sanidade, compreensão, e cheia de tesão pela vida, q sempre foram sua constante! Foi uma mulher com sincero amor à vida, sem nunca ter amaldiçoado ou sequer demonstrado amargura ou revolta pelas suas perdas prematuras...

Nunca a vi lamentar-se por nada, pelo contrário, me deliciava ao ouví-la contar suas estórias dos poucos anos vividos com seu pai amado, e com um sorriso tão brilhante no rosto, q ofuscava seus olhos marejados de saudades...

Foi minha confidente e conselheira, tentou me salvar em meio às "situações limite" de minha vida. Era ela quem ia ao meu encontro, jamais meu pai! Se ela foi perfeita pra mim? Digamos q foi a mãe perfeita pra tudo o q eu nasci predestinada a vivenciar nesta encarnação! Era ela exatamente a mãe q eu precisava... E espero ter sido a filha q ela também necessitava!

Com certeza q cada filho a viu de maneira diferente, assim como toda Mãe vê seus filhos de formas distintas! Era a "mesma mãe" de seus filhos, mas foi "seis mães distintas" pra cada um deles! Estou prestes a perdê-la de vista, mas de meu coração jamais a perderei!

Eu a encontrei de verdade, dentro de mim, no momento em q ela começou a perder sua lucidez... Quanta ironia...!

Fez poesias pela vida afora! Amou incondicionalmente meu Pai, mesmo sendo um homem de difícil convivência... ( Aff Maria ! rs )

Sofreu com ele, por ele, mas ELE SEMPRE FOI SEU TUDO! E agora, ELA é o TUDO DELE!

Nunca pensei ver meu pai tão dedicado a ela... Mas eu vi !

Não sei o q restará dele com a sua partida...

No fundo, nós duas sabemos - mesmo sem sua consciência devido a doença - que suas perdas, nada mais são do q ganhos que ela está a nos ofertar. Pra quem perdeu toda a família, nos primórdios da infância, ela soube como ninguém valorizar a família q construiu! Creio q fez um pacto em abrir mão de seus últimos anos de vida, em prol do nosso crescimento...

Meu pai está a crescer em seus 83 anos, assim como todos nós...

Quem disse q crescer não dói? Dói muito, Mãããeee!!...

Siga em paz na sua hora, mas fique certa de que o meu amor e a minha gratidão, por ti, serão eternos!






Tua filha,

Helô


P.s. meu pai veio a partir exatamente 1ano e 4 meses, depois dela...





19 comentários:

Denise disse...

Aceite um abraço.
Sem palavras apenas de um coração que sabe o que é sentir.

Denise

PS: Tem um mimo,para vc no blog,mesmo que demore a estar bem para recebe-lo ,estara lá te esperando.É uma forma de fazer um carinho.
Espero que goste e aceite.

Miguel Banderas disse...

Os meus sentimentos Helo

disse...

Ai amiga, o que dizer numa hora dessa??? Acho que o que disser será apenas pra vc saber que bem longe de onde vc está, existe alguém que se importa se vc está bem ou não!!! Não posso dizer que a sua dor é a minha, mas posso dizer que sinto te saber sofrendo... Que o Espírito Santo Consolador esteja ao seu lado!!! Estou orando por vc!!! Bjssss
apenas, Lê

Erica Maria disse...

Sinta-se abraçada...pelo meu carinho, pelo meu apoio...

Linda homenagem viu?

Bjos em teu coração lindo!

Nanda disse...

Helo...

Aqui... com lagrimas rolando pela face... lendo tua homenagem tao unica e tao verdadeira...

beijos e fique em paz...

Glória Müller disse...

Irmã, muito lindo o que você escreveu!!! Estou chorando muito... extremamente emocionada! Que saudade! Como dói, apesar de saber de todo sofrimento que ela vinha passando... Quanta saudade! Pode parecer exagero, mas não é! Nós sabemos que além de uma mãe especial, ela foi profissional, esposa e um ser humano espetacular! Eu sempre soube disso... e até as pessoas que pouco a conheciam, sabiam avaliar isso também... pois ela era transparente!Como dói...
Beijos, minha irmã!
Glória

Glória Müller disse...

...esqueci de falar que você escreveu muito bem!
Vou colocar a tua homenagem no meu blog, ok?!
Bjos
Glória

Bill Falcão disse...

Entendo muito bem tudo isso, Helô! Minha mãe também morreu de Alzheimer. Quase dez anos vivendo como uma criança de dois anos, até virar completamente um bebê, usando fraldas, como você disse!
Para elas, ir embora é melhor, precisamos entender isso.
Meus sentimentos!

Gleidston disse...

Meu silencio por respeito ao seu momento, sem palavras...
Ficara minha prece por voce neste momento...

Helô, meus sentimentos.

Abraço forte.

Francisco disse...

Helô!
Com certeza a fibra e o amor que sua mãe dedicou a você e sua família, permanecerão.
As pessoas que amamos não morrem, apenas se ausentam temporariamente, até um novo e belo encontro.
Um beijo grande minha amiga!

J. Araújo disse...

Minha amiga Helô, imagino a sua dor. Também já passei por isso, e sei o quanto dói no peito a perca de uma mãe quando realmente damos o verdadeiro valor que ela merece. Choro até hj sua ausnencia, é uma dor no peito, mesmo passado mais de 7 anos de sua partida; mas fazer o que! Precisamos continuar lutando até o momento em que chegar também a nossa vez de partir; e quem sabe termos um novo reencontro com nossa rainha que é a nossa mãe.

Receba minhas condplencias e que DEUS possa te confortar como sempre fez nas horas mais difíceis de sua vida.

Meu abraço carinho e fraterno

PEKADUS disse...

Querida..

Os meus mais profundos Sentimentos..
Assistir á "partida" de quem Amamos e que nos ama,é também,sentir que parte de nós igualmente "parte"..

Temos que reaprender a viver..
com essa falta..

Não me alongo mais,porque não existem palavras próprias nestas situações..apenas as demostrações de afecto e respeito..

Aceite meu forte Abraço,deste lado do atlantico e reaprenda a viver,lembrando sempre,todos os momentos,ensinos e Amor vindos desse sêr (sua Mãe).

Bjo de Amizade

Pekadus

Eduardo P.L disse...

Meus pêsames!

Paulo Tamburro disse...

HELÔ, meu silêncio, meus respeitos e um tenro abraço.

Vera disse...

Irmã, quanta dor e saudade desse ser maravilhoso que fomos presenteados em nossas vidas.
Como vc disse ele foi uma mãe especial até os ultimos dias. Nos preparou para sua partida se ausentando gradativamente, porém nunca deixou de transmitir a sua fortaleza, fé e amor, por mais que tivesse terminado de maneira tão frágil externamente, mas jamais no nosso coração.
Espero ser capaz de deixar crescer e germinar o Amor que ela plantou dentro de mim e seja amorosa e esperançosa como ela sempre foi.
Muito obrigado tia por ter me escolhido para fazer parte da sua história!
Te amarei sempre.......

Christi... disse...

Poxa Helô só to lendo agora, meus sentimentos, te mandei um e-mail, mas não tive retorno, deve ser por tudo que passou.
Meu silêncio e respeito a ti.
Beijo querida

Chris

UIFPW08 disse...

muito lindo... Bejio Morris

M. disse...

Feliz mãe esta!

ricardo alves disse...

muito bacana este texto
sinto tristeza,sinto esperança!
sinto muito por tanta coisa,me faço de forte para me enganar...
mas mães e pais,indiferente de nossa união ou distância deles,são pilares...linhagens sagradas e que na transição sempre nos abalam!
bjs amiga e haja luz pra ti!